Início > Uncategorized > Aprovado acordo que reconhece diplomas de professores de espanhol e de português nos países do Mercosul

Aprovado acordo que reconhece diplomas de professores de espanhol e de português nos países do Mercosul

O Parlamento do Mercosul aprovou em 28 de Outubro de 2009 um acordo firmado pelos governos dos países do bloco regional que autoriza a validação dos diplomas para a professores de português e de espanhol nos países signatários do Mercosul.
Dessa forma, professores brasileiros de português poderão ensinar nos países vizinhos, bem como professores argentinos, uruguaios e paraguaios poderão disputar vagas para professor de espanhol nas escolas brasileiras.
Vale acrescentar que, no Brasil, a Lei nº 11.161/05 determina que as escolas de ensino médio serão obrigadas a oferecer aulas de espanhol a partir de 2010 – para os alunos, a matéria será optativa.
O acordo sobre a validação dos diplomas, assinado em junho de 2005, ainda será votado pelas Comissões de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE) e de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), seguindo depois para o exame dos Plenários do Senado e da Câmara. Ademais, tal acordo também precisa ser aprovado pelos parlamentos dos outros países-membros do Mercosul.
Para a senadora Marisa Serrano (PSDB-MS), integrante do Parlamento do Mercosul, a medida “é fundamental para a verdadeira integração dos povos destes países vizinhos”. Ressaltou que o Brasil precisará “de muitos professores de espanhol” no ensino médio a partir de 2010, recordando que também há grande procura por professores de português nos outros países latinos.
Na mesma reunião do PARLASUL, presidida pelo deputado federal José Paulo Tóffano (PV-SP), ficou aprovado o acordo assinado pelo Brasil e pelo Uruguai para que sejam criadas escolas técnicas em cidades fronteiriças, que oferecerão vagas tanto para alunos uruguaios quanto brasileiros. Serão ministrados cursos técnicos nas áreas agropecuária e industrial, de modo que metade das vagas caberá a uruguaios e a outra metade a brasileiros. Ressalta-se que os diplomas expedidos por estas escolas terão validade curricular e trabalhista nos dois países e as escolas serão mantidas pelos governos de cada país, de forma independente do país vizinho. O aluno que quiser se candidatar a uma vaga, deverá comprovar que cursa ou está cursando o ensino médio. Este acordo ainda deve ser aprovado pelas Comissões de Relações Exteriores e de Constituição e Justiça antes de ser levado aos Plenários do Senado e da Câmara.

Avante MERCOSUL!

Fonte:
http://www.senado.gov.br
http://www.jusbrasil.com.br

Categorias:Uncategorized
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: